Capacitação em Juquiá busca melhoria da produtividade na agricultura

UNESP, Prefeitura Municipal de Juquiá e Casa da Agricultura capacitam empreendedores Rurais de Olericolas, Palmito Pupunha e Banana, no manejo integrado de pragas. (MIP).

“O principal objetivo da capacitação é a redução de agroquímicos, conseqüentemente aumentando a produtividade”.

A Proex (Pro Reitoria de Extensão) da UNESP apóia projetos que visem disponibilizar informações da universidade à sociedade atendendo um dos três pilares de sustentação da universidade (ensino, pesquisa e extensão). Especificamente o projeto foi proposto com o objetivo de Fornecer orientação aos agricultores familiares da região do Vale do Ribeira, que cultivam hortaliças, sobre os conceitos e aplicações do Manejo Integrado de Pragas (MIP), visando à racionalização do uso de inseticidas no controle de pragas agrícolas, redução do custo de produção e uma maior sustentabilidade do sistema produtivo.

No ano de 2010 o mesmo projeto foi realizado no município de Registro com os produtores de hortaliças do bairro Indaiatuba. Consegui aprovar esta nova versão para 2011 objetivando atender o município de Juquiá, explica o Coordenador: Prof. Ronaldo Pavarini.

Segundo Carlos Reitz (Chefe de Divisão do Agronegócio do Departamento de Agricultura e Turismo), foi realizado capacitações nos bairros: Ribeirão Fundo de Baixo, Caçula e Juquiá Guaçu, totalizando o número de 70 produtores capacitados no município. A capacitação por ser dividida em teórica e prática, permitiu que os participantes adquirissem conhecimentos dos ciclos de vidas das pragas, os hábitos alimentares de cada praga, o local especifica de ataque em cada cultura e com base nestes conhecimentos os participantes aprenderam a estabelecer níveis de controles e instalação de armadilhas em suas diferentes formas, luminosa, coloridas, adesiva e feromônio. O principal objetivo da capacitação é a redução de agroquímicos, conseqüentemente aumentando a produtividade, conclui.

Para o produtor “José João” a capacitação permitiu que o mesmo identificasse os ataques em sua lavoura, “Eu estava aplicando produtos para o controle de lesmas, só hoje aprendi conhecendo os hábitos e ataque das pragas que eu deveria combater na verdade a lagarta. Sem mencionar que no meu conhecimento a joaninha prejudicava minha lavoura e hoje também aprendi que não, ou seja, eu estava era matando os insetos amigos das culturas e também provocando desequilíbrio ambiental. Participar das capacitações junto com os produtores é uma constante troca de conhecimento, e esta aproximação passa mais credibilidade quando visitamos as propriedades comenta o Técnico Agrícola do Departamento Rogério Ura.

Para a Técnica Flávia de Godói, quando nosso diretor solicita nossa atenção para uma determinada ação, é porque realmente a sua aplicação muda a realidade dos nossos produtores, então nos empenhamos para que o público alvo receba o que tem de melhor, em termos de informações técnicas.

Na realização destas capacitações todo o departamento se mobiliza, Casa da Agricultura, Deagritur, CATI e UNESP, comprometida com a realização da nossa missão de levar conhecimentos técnicos e científicos adaptando e respeitando a cultura e os hábitos dos nossos empreendedores rurais, buscando a sua sustentabilidade social, econômica e ambiental. Conclui o Diretor do departamento Ilso Luiz dos Santos.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s