Mulheres são maioria na frente de trabalho da Ilha Comprida

Ilha Comprida – A primeira trabalhadora a assinar o Termo de Adesão da Frente de Trabalho da Ilha Comprida, Alzira da Silva, segue o padrão estadual dos principais beneficiados com o programa. É mulher, encontrava dificuldade para encontrar emprego fixo, vive de serviços ocasionais e sonha com a liberdade financeira e novas oportunidades profissionais.

Alzira ocupa uma das 103 vagas destinadas à Ilha Comprida no Programa Emergencial de Auxílio Desemprego, da Secretaria de Estado do Emprego e Relações do Trabalho, com apoio da Prefeitura. A assinatura do termo de adesão aconteceu na segunda-feira 16/12, no auditório da Escola Meu Recanto, com a presença do técnico da Secretaria, Edson Burci, da diretora do Departamento de Ação e Bem Estar Social da Prefeitura, Marta Hernandes, e da Coordenadora do CRAS, Lindamar Saba.

Segundo Burci, a Frente de Trabalho estadual existe desde 99, mas somente nesse ano chegou nas cidades do Vale graças ao empenho do governador Geraldo Alckmin , interessado em ampliar o benefício às cidades da região. Desde 99, o programa já beneficiou 450 mil pessoas em todo o Estado:“O programa oferece oportunidade para que as pessoas possam aprender um ofício e conquistar emprego”.

É por isso que os bolsistas da frente de trabalho trabalharão por até nove meses, com jornada de seis horas diárias de trabalho, quatro dias por semana e curso de qualificação profissional obrigatório no quinto dia. Os participantes recebem bolsa auxílio de R$ 210,00, cartão alimentação de R$ 86,00, seguro de acidentes pessoais e auxílio deslocamento (se a pessoa residir acima de 2 km).

O prefeito Décio Ventura destacou a importância do programa para a promoção das pessoas que passarão a receber recursos, a trabalhar, a frequentar cursos técnicos, a sair de casa, conhecer novas pessoas e adquirir novas perspectivas de vida. ‘É um programa que quer promover as pessoas para melhor. Isso é muito importante”, afirmou.
Expectativa e sonhos

A bolsista Márcia Dantas está otimista com a oportunidade e, além do trabalho, quer novos horizontes profissionais.” Quero fazer cursos e me sentir útil, com renda fixa. Não dá para viver de bicos. É muito inseguro”, disse. Edimeire Solange Teles tem expectativa que 2012 seja um ano “maravilhoso” pelas novas oportunidades profissionais que despontam no horizonte.”Criei os filhos e nunca tive chance de trabalhar. Nunca tive o meu dinheiro e minha independência financeira. Agora, chegou a hora de trabalhar e ter o meu dinheirinho. Terminei o Brasil Alfabetizado nesse ano, fiz o curso alimente-se bem do SESI e não há curso que apareça que eu não faça. É vida nova”, comemorou.

Os bolsistas da Frente de Trabalho estão à disposição da Prefeitura para trabalho em diversos setores. A seleção ocorreu pelas condições socioeconômicas dos inscritos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s