Festa do Senhor Bom Jesus de Iguape: fé e tradição unindo multidões há mais de três séculos

As solenidades em louvor ao santo começam neste dia 28 de Julho, com as novenas, e no dia 6 de agosto haverá a tradicional festa do Senhor Bom Jesus de Iguape. Evento tem transmissão ao vivo pela Internet.

Neste dia 28 de Julho, às 19h, na Basílica do Senhor Bom Jesus, na cidade de Iguape, São Paulo, terá início às festividades em louvor ao santo. Neste dia, começarão as novenas, que irão até o dia 5 de agosto. As festividades, que atraem romeiros de todos os cantos do país, crescem a cada ano, com fiéis que vem agradecer as bênçãos alcançadas e renovar seus pedidos aos pés da imagem. Este ano no site da Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape, http://www.senhorbomjesusdeiguape.com.br, transmitirá ao vivo novenas, chegadas dos romeiros e missas.

A cada dia, a novena será celebrada por um pregador convidado, que com base no tema do dia falará de diversos assuntos, sempre relacionados ao tema central, que este ano é “Nossa Caminhada de Fé no Senhor Bom Jesus de Iguape”.
A padroeira da Paróquia da cidade de Iguape, Nossa Senhora das Neves, também terá sua festa dentro das festividades do Senhor Bom Jesus de Iguape. No dia 5 de agosto, domingo, a festa é em louvor à padroeira. Neste dia, haverá missa campal, às 10h, presidida por Dom José Luiz Bertanha, bispo da nossa Diocese de Registro, e procissão pelas ruas históricas do centro da cidade, às 17h.

Já no dia 6 de agosto, dia do Senhor Bom Jesus de Iguape, ocorrerão missas durante todo o dia. Porém, às 10h, haverá missa campal, presidida por Dom Antônio Carlos Altieri, bispo da Diocese de Caraguatatuba, e procissão às 17h.
As festividades se tornaram muito tradicionais graças à grande devoção dos romeiros, que se deslocam de cidades distantes, tanto de carro, quanto de ônibus, e muitos fazem o trajeto andando, à cavalo, para louvar e agradecer às bênçãos alcançadas.

“Que sua romaria à Iguape o ajude a ser ainda mais uma pessoa de fé. Que o Bom Jesus seja sinal de vida nova, de revitalização da fé e de avançar com coragem no caminho do bem, da verdade e do amor. Gostaria de encontrá-los em Iguape, se Deus quiser!”, afirma Dom José.

Iguape aguarda romeiros com muitas atrações

A expectativa para este ano é de que cerca de 200 mil romeiros venham visitar o santuário e a cidade de Iguape. Para recepcioná-los a Prefeitura Municipal preparou em paralelo aos eventos de devoção uma série de apresentações musicais e culturais, que acontecerão aos finais de semana, na Praça da Basílica, após a novena. A Feira de Artesanato e Culinária é outro atrativo para os visitantes e vai acontecer durante todo o período da Festa.

Transmissão ao vivo pela Internet

A novidade para quem não puder vir até Iguape é a transmissão ao vivo em tempo real dos principais acontecimentos das festividades e dos eventos religiosos. Em parceria com a TV Iguape – http://www.tviguape.com.br – o site da Basílica – http://www.senhorbomjesusdeiguape.com.br – estará levando aos fiéis do Brasil e do mundo tudo o que ocorrer durante os dias de festejos e uma câmera ficará 24h registrando o altar do Nosso Senhor Bom Jesus de Iguape.

Uma viagem no tempo e à Cultura

O acervo arquitetônico e histórico de Iguape tombado em 2009 pelo IPHAN é outra atração imperdível. Fotos do casario do centro histórico são itens imprescindíveis ao turista. Além disso, a riqueza da cultura tradicional caiçara mantida pelas comunidades iguapenses vai levar o visitante a um mundo diferenciado onde a musicalidade de nossa gente e sua cultura de raiz, simples e preservacionista, nos faz refletir de que um mundo melhor é possível e já existe aqui em Iguape. Além disso, um ótimo programa cultural é visitar o Museu de Arte Sacra, recém transferido para o pavimento superior da Basílica, bem ao lado do patamar onde está a imagem do Senhor Bom Jesus. O acervo é riquíssimo e considerado um dos mais importantes do Brasil.

História de preservação e fé na saga da Basílica do Bom Jesus

A construção da Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape foi iniciada no ano de 1787, porém, devido à falta de recursos, as obras prosseguiam e paravam, e somente foram parcialmente concluídas em 1856, durando assim cerca de 69 anos.

No seu interior, encontram-se imagens de santos, entre elas a de Nossa Senhora das Neves e do Senhor Bom Jesus de Iguape, a Sala dos Milagres, com objetos deixados pelos devotos que foram abençoados pelo Senhor Bom Jesus de Iguape.

História da Imagem

A imagem veio de Portugal, onde era muito venerada. Embarcaram-na num barco português, em 1647, com destino ao Brasil. Perto de Pernambuco, o barco foi atacado por outro barco pirata dos protestantes calvinistas. Para evitar que a imagem fosse destruída e profanada, o comandante colocou-a numa caixa de madeira, juntou algumas garrafas de azeite e jogou-a ao mar. A caixa foi levada pela correnteza marítima em direção ao sul.

Nove meses mais tarde, na Praia do Una, dois índios enviados à Vila Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém, enviados pelo Sr. Francisco de Mesquita, morador da Praia da Jureia, avistaram algo entre as ondas. Como não conseguiam identificar os objetos resolveram entrar no mar e resgatá-lo. Perceberam que se tratava de uma imagem e junto a ela havia também algumas botijas de azeite e um caixote de madeira.

Acreditando que havia alguma relação entre os objetos resolveram trazê-los à margem. Para prosseguir viagem, colocaram-na de pé na areia ao lado das botijas e do caixote. No regresso ao se aproximarem da imagem, perceberam surpresos que, deixando-a virada para o nascente, encontraram-na virada com o semblante voltado para a direção poente. Apressaram-se em voltar ao seu local de morada e contar o que acontecera. No dia seguinte, Jorge Serrano, líder da comunidade, tomou no caminho de Praia do Una, acompanhado de sua mulher Ana de Góes, de seu filho Jorge e de sua cunhada Cecília. Quando chegaram diante da imagem puseram-se de joelhos e rezaram, rendendo graças. Decidiram então levá-la para a Vila de Iguape e para facilitar o transporte, usaram uma rede de pesca.

Um grupo de pessoas que havia sido informado do achado da imagem pelos índios acercou-se de Jorge Serrano, com a intenção de levá-la para a Vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém, por esta ser a sede da Capitania. Ao tentarem virar o cortejo para àquela Vila, a imagem surpreendentemente tornou-se muito pesada e o contrário aconteceu quando voltaram-na na direção à Vila de Iguape. Perceberam então que a imagem já havia escolhido seu destino.
À medida que se aproximava da vila eram muitas as pessoas que se juntavam à procissão. Após dias de caminhada encontraram um lugar de rara beleza onde pararam para banhar a imagem sobre as pedras de um riacho, retirando o salitre e preparando-o para a sua chegada na Matriz de Nossa Senhora das Neves. Este riacho ficou conhecido como Fonte do Senhor e dizem que a pedra sobre a qual foi banhada a imagem, cresce continuamente. No dia 02 de novembro de 1647, terminada a lavagem, a imagem finalmente chegou à vila e foi entronizada na

Matriz de Nossa Senhora das Neves.

No ano de 1787 foi iniciada a construção de uma nova igreja, pois a Matriz de Nossa Senhora das Neves encontrava-se em péssimas condições. A obra foi interrompida e somente trinta anos depois foi retomada. Já nesta época a Procissão do Senhor Bom Jesus era realizada no dia 06 de agosto, dia da transfiguração do Senhor.

Sobre Iguape

Rica em belezas naturais, Iguape possui uma grande extensão de área natural protegida, que inclui a Estação Ecológica dos Chauás e a Estação Ecológica Juréia-Itatins, além de estar parcialmente em Área de Proteção Ambiental (APA – Cananéia-Iguape-Peruíbe). São cerca de 1.964 km² de rios, costões, morros, manguezais, praias e cachoeiras, compondo uma amostra singular de ecossistemas associados, além das Reservas de Mata Atlântica do Sudeste, tombadas pela UNESCO no ano de 1999 como Patrimônio da Humanidade.
Além das belezas naturais, possui atrativos culturais, históricos e religiosos. Fundada em 1538, encontrou no passado sustentação econômica nos ciclos do ouro e do arroz, período em que foram construídos os casarões coloniais, hoje tombados como patrimônio nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), já é considerado um dos mais importantes acervos do País, o maior de São Paulo. As principais atrações turísticas de Iguape, também conhecida como a “Princesa do Litoral”, vêm justamente da cultura tradicional, da herança histórica, das belezas naturais e da fé, que leva milhares de romeiros a festejarem o Bom Jesus de Iguape.

Um passeio pelo Centro Histórico, um dos mais bem conservados do estado, com ruas estreitas e tortuosas, casarões coloniais e calçadas de pedra, desperta sensações de retorno ao passado que retrata a história do Brasil. A cidade ainda oferece trilhas ecológicas, inúmeros locais para pesca, passeios de barco e caiaque e um amplo circuito de belos e pitorescos pontos de visitação com museus, igrejas e recantos turísticos amparados por uma boa infraestrutura hoteleira e gastronômica.

Como chegar em Iguape

Da Capital paulista, bem com da Capital Paranaense, de carro, são cerca de 210Km passando pela Régis Bitencourt (Br 116) até o Km 401, em Miracatu. De lá siga pela SP 222, Rodovia Prefeito Casemiro Teixeira até Iguape. Algumas empresas de ônibus intermunicipal fazem o trajeto para Iguape. De Sorocaba a Viação São João, de São Paulo, Registro e Santos, a Viação Intersul. De Curitiba a Registro o trajeto é feito pela Itapemirim e de Curitiba a Iguape tem ainda a Viação Princesa dos Campos.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s