José Augusto Costa

Engenheiro Agronômo.
Em 20/11/07, às 16h30.

D.I. ► Quais principais trabalhos o engenheiro desenvolveu na prefeitura na área da agricultura e pesca, no período em que lá esteve?

- Capacitamos 81 guias de pesca amadora através de parceria com o Programa Nacional de Pesca Amadora do Ibama;

- Realizamos um curso de boas praticas de fabricação de alimentos em parceria com Sociedade de Amigos do Bairro do Momuna (SABAM) visando melhorar a qualidade no processo de fabricação artesanal da farinha;

- Confeccionamos e entregamos materiais para a formação de uma apiário-escola no Colégio Agricola e para apicultores deste municipio;

E outras atividades relativas ao setor.

 

D.I. ► O que mais chama a atenção na administração pública atualmente?

Primeiramente o sistema de gestão centralizado da prefeitura não dá autonomia para que o profissional atue, necessitando todas as ações passarem pelo crivo do gestor do municipio, o qual muitas vezes possui a visão politica não com interesse na coletividade, esquecendo-se que o trabalho tecnico bem feito da visibilidade a população, trazendo desta forma efeitos positivos para a sua administração.

D.I. ► Qual a sua avaliação do investimento em infra-estrutura para o Turismo?

Existe a concepção que o turismo é o bote salva vida para o municipio, porém ainda não possuimos um planejamento concreto, isto é ainda não temos politica publica construida junto a sociedade, fazendo com que qualquer investimento seja visto pela população como mais uma obra do prefeito.

D.I. ► Qual seria o primeiro setor econômico de Iguape a ser ‘revivescido’? Que tipo de ação do poder público falta hoje ao município, que poderia fomentar o desenvolvimento econômico?

A economia base deste municipio é sem duvida a agricultura e pesca, que poderia ser revivescido atráves do incentivo a industrialização, agregando valores e gerando emprego e renda

D.I. ► Em que pese a agricultura familiar ligada ao ecoturismo, quais seriam as medidas mais urgentes para o setor e quais os meios para aplicá-las?

O ecoturismo é mais uma forma de melhorar a renda do produtor rural, necessitando para sua implementação que seja realizado juntamente com o Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, o cadastramento das propriedades com potencial ao ecoturismo tendo um diagnostico da realidade atual, visando desta forma a construção de um projeto buscando soluções a curto, médio e longo prazo para a sua efetivação.

D.I. ► O cidadão José Augusto tem algum projeto político para o município? Poderia detalhar-nos?

Qualquer projeto tem quer construido com a participação da sociedade, fazendo-a perceber que sua atuação, juntamente aos poderes publicos, traduz o conceito de cidadania.

3 respostas a José Augusto Costa

  1. João Pedro

    O agronomo José Augusto quer vender a idéia do novo . O conteúdo das respostas não mostra ou traz novidades , ou melhor , até acho que falta conteúdo .

  2. Srs.
    Nenhuma atividade em Iguape, seja na área rural ou urbana, terá efeitos sem a regularização fundiária do Município.
    Mais de 60% do Município (maior do Estado) ainda é terra devoluta não discriminada e não será facilmente aceita por qualquer banco ou empresa para fins de investimento.
    Feita a regularização fundiária, que a partir de 2.004 tem ferramentas juridicas efetivas, todo o proprietário rural poderá andar com as próprias pernas, indo ao banco para obter o financiamento que precisar e retomar a agricultura.
    Tendo ele a condição de dono da terra, várias serão as empresas já especializadas em ecoturismo que o colocarão como parceiros em atividades já testadas, sabendo que a propriedade não será motivo de bloqueio ou qualquer outra dúvida judicial, como ocorreu na época do Dr. Caramuru.
    Logo, deixo aqui a pergunta sobre a opinião do Sr. José Augusto sobre a situação fundiária do Município e como ele pretende resolver esse problema.
    Só para lembrar, Iguape teve o ciclo do ouro o ciclo do arroz e teve uma grande retomada na economia com os loteamentos. Quando tudo foi cancelado ou bloqueado, Iguape teve sua economia estagnada e sem nova onda economica provocada pela regularização das propriedades e, por conseguinte, do comércio que envolva a compra e venda de imóveis e os novos investimentos no setor imobiliário (mesmo com as vedações ambientais ainda é possível empreender para o alto padrão), Iguape tem uma nova e definitiva chance de mostrar sua condição de Fenix e mais uma vez ressurgir das cinzas.
    Abs,
    Eduardo Oliveira

  3. Isso é que é aproveitar a Internet. Meus parabéns pela idéia.
    Como bloguista, sinto que estou perdendo de 1 a 0, por enquanto.
    Benedito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <pre> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>