Gás lacrimogêneo e balas de borracha disparadas contra milhares de manifestantes antigovernamentais em Tbilisi

A polícia usou de violência contra os manifestantes em Tbilisi, capital da Geórgia. Milhares de pessoas manifestaram-se pela terceira semana contra o polêmico projeto de lei.

A polícia de choque da Geórgia, usando gás lacrimogêneo, balas de borracha e canhões de água, avançou sem aviso, espancando e prendendo dezenas de manifestantes em Tbilisi, disse um repórter da AFP.

Uma testemunha ocular disse à Reuters A polícia foi vista disparando bombas de gás lacrimogêneo sem aviso prévio E carregue bombas de água.

A polícia agrediu repetidamente os manifestantes, que responderam atirando-lhes ovos e garrafas.

No início da noite de Terça-feira Santa, os manifestantes reuniram-se em frente ao Parlamento para manifestar Contra o projeto de lei de “influência estrangeira”A oposição e o Ocidente condenam-no como repressão e ditadura.

“Não permitiremos que esta lei russa seja aprovada”

Bruxelas disse que o projeto de lei afeta a perspectiva de a Geórgia, uma ex-república soviética no Cáucaso, se tornar membro da União Europeia.

Desde 9 de abril, o partido no poder, Georgian Dream, tenta aprovar o projeto de lei após uma tentativa fracassada na primavera de 2023, face a protestos em massa.

De acordo com os seus críticos, o projecto de lei foi inspirado na lei russa dos “agentes estrangeiros” e foi utilizado para reprimir a dissidência.

Os membros do parlamento georgiano discutiram o projeto de lei em segunda leitura na Terça-feira Santa (30.04.2024). O partido no poder espera aprovar o projeto de lei até meados de maio.

READ  O Real Madrid terá um bônus de contrato de € 150 milhões

“Eles têm medo da nossa determinação”, disse à AFP a manifestante Nadia Kapisonia, de 21 anos, em frente ao Parlamento. “Não deixaremos que esta lei russa seja aprovada e enterre o nosso futuro europeu“, ele adicionou.

O meio de comunicação independente Fórmula TV informou que manifestações ocorreram na segunda maior cidade da Geórgia, Batumi e Kutaisi.

Na Segunda-feira Santa (29.04.2024), milhares de pessoas participaram num protesto organizado pela organização Georgian Dream em frente ao parlamento.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michael, disse que o projeto de lei contradiz o desejo da Geórgia de aderir à UE.

Em Dezembro, a União Europeia concedeu à Geórgia Estatuto oficial de país candidato à adesão à UniãoAs negociações para a sua adesão começarão oficialmente, ao mesmo tempo que adverte que deve continuar a reformar principalmente os seus sistemas judicial e eleitoral, reforçar a liberdade de imprensa e limitar o poder dos oligarcas.

Informações: APE BEE – Fotos: Reuters

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *