Messolonghi: O açougueiro não está “quebrado”.

Seu clímax de suspense Um caso de desaparecimento e homicídio como tudo indica é o de um jovem de 31 anos de Mesolonghi As esperanças de encontrá-lo estão desaparecendo, mas todas as evidências até agora sugerem que é culpado Energia.

O principal suspeito do caso, um açougueiro de 50 anos, foi levado de volta à Diretoria Geral de Polícia de Etolokarnania na tarde desta quarta-feira (17/1) para prestar depoimento e ser interrogado. Novos fatos surgiramA partir da análise de pegadas e conversas no celular, segundo ele, no fatídico dia, a pegada do amigo também é encontrada na área “trancada” pela busca do desaparecido.

Apesar de sua investigação que durou a noite toda, 50 anos Ele não concordou. No entanto, ele continuará sob custódia e um caso será registrado e enviado hoje a um advogado qualificado. Espera-se que um mandado seja emitido contra ele Com os dados recolhidos pelas autoridades.

Os amigos e parentes do jovem de 31 anos se reuniram em frente à delegacia de polícia de Mesolonghi e gritaram. “Onde está Babis?” E ele pediu a um homem de 50 anos que falasse.

Messalongi: trazendo o amigo do açougueiro

Quando ele foi ao advogado, Seu amigo também deverá ser trazido. Como mencionado acima, no fatídico dia do desaparecimento da vítima, as provas a colocam no local, por isso ela deve ser interrogada para um caso altamente aclamado.

Recorde-se que, nas últimas 24 horas, os agentes policiais que investigam o caso telefonaram para o particular e levaram o seu telemóvel ao laboratório forense para exame. Seus policiais agora participam do processo de investigação e em conjunto com as novas provas à disposição das autoridades. assassinatos que foram até a área para ajudar seus colegas.

READ  O melhor conselho sexual pode ser difícil de seguir

Em declarações ao Mega, mencionou os motivos da entrega do seu telemóvel às autoridades de Mesolonghi. O jovem de 31 anos disse repetidamente que não sabe o que aconteceu.

“Como tenho um filho e não posso estar sempre presente, entreguei o telemóvel para que as autoridades possam averiguar se há alguma coisa. Demos provas às autoridades, não importa quantas vezes nos ligaram na última terça-feira, 16/1. Não sabemos o que aconteceu, as autoridades não dizem nada, também estamos aguardando. Eles disseram que haverá melhorias em breve.” disse o homem de 36 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *