Netanyahu pediu uma lista dos alvos do Irã

O círculo é quadrado? Pergunta retórica, claro, mas é exactamente isso que Israel está a tentar (ou tentará). Uma próxima resposta ao ataque do Irão no sábado passado.

O que é dado? Israel responderá mesmo sabendo Essa foi a razão do ataque do Irão. O seu próprio ataque à embaixada iraniana em Damasco (ou seja, essencialmente em solo iraniano) forçou o Irão a atacar Israel (não por procuração) pela primeira vez.

Artigo relacionado

Após o conselho de guerra de segunda-feira, Israel tomou a decisão esperada. Então, um passo, mas Sem guerra geral e sem causar baixas. O quadrado do círculo de que falávamos, uma vez que o Irão já tinha anunciado que qualquer ataque de Israel seria alvo de retaliação. Um dos Aye pode andar com uma de suas minas?

Seja como for, o Washington Post relata que Benjamin Netanyahu ordenou aos seus chefes militares que fornecessem imediatamente uma lista de alvos potenciais que Israel poderia atacar em solo iraniano (sem nunca desencadear uma guerra geral). e vítimas).

Segundo o mesmo relatório (baseado em fontes israelitas), estão a ser consideradas várias soluções. Um ataque cibernético bem planeado que ataca instalações críticas para a economia do Irão ou perturba os sistemas eletrónicos do país. Entende-se que qualquer decisão não anunciada será simplesmente executada. Então outros saberão.

Artigo relacionado

Israel deve saber que não pode contar com a ajuda americana ou de qualquer outra ajuda ocidental em qualquer empreendimento. Os americanos deixaram bem claro que se manterão afastados (uma vez que não têm interesse em provocar o Irão neste momento), e os europeus uniram-se em seu apoio. Os entrevistados (como Grã-Bretanha, União Europeia) indicaram e sublinharam “não aumentar”.

READ  DG está em território positivo, queda de 7,33% para Jumbo

Ela obviamente está Não é um compromisso que dure para sempre. Varia dependendo do desenvolvimento (talvez dependendo do nível da resposta iraniana), mas todos têm sempre em mente que uma possível ajuda poderia desencadear a Terceira Guerra Mundial. A Rússia e a China não são indiferentes a estes acontecimentos.

Contudo, a resposta inicial ao Irão será limitada. Muitas forças não serão desperdiçadas porque Israel não se esqueceu do “extermínio do Hamas” que se tornou o derramamento de sangue da maioria dos civis em Gaza e beira o genocídio. A Força Aérea Israelense já anunciou a sua disponibilidade para ajudar numa operação contra o Irão, mas não está claro em que papel.

Artigo relacionado

Israel também está sempre de olho na fronteira com o Líbano O Hezbollah é uma ameaça constante lá. Portanto, não pode se dar ao luxo de desmontar forças para vencer uma batalha que atualmente gira em torno de impressões.

Após o seu ataque, Israel concentrar-se-á em dois objectivos. Ele precisa de continuar o que está a fazer em Gaza (o que continua a fazer gota a gota para devolver os reféns às suas famílias) e fortalecer as suas alianças para criar uma frente contra o Irão (para uso futuro).

Pois bem, enquanto o mundo quiser a paz e não a guerra, embora devam ser tomadas iniciativas nesse sentido, a paz não parece ser muito popular nos dias de hoje.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *