Olho do Saara: Maravilha Geológica e Especulação sobre a Atlântida Perdida (vid)

Este círculo quase perfeito no deserto inicialmente levou os cientistas a acreditar que se tratava de um sistema de impacto de meteoros.

O “Olho do Saara”, também conhecida como Formação Rizad, destaca-se como uma amonite gigante entre as dunas de areia do deserto do Saara, na Mauritânia. Esta maravilha geológica, muitas vezes referida como “Olho da África”, é uma cúpula de rocha gigante esculpida com anéis concêntricos que parece um olho de boi gigante quando vista de cima. Visível do espaço, o olho tem sido visível para astronautas e cientistas desde que os primeiros humanos foram enviados na década de 1950, de acordo com a Agência Espacial Europeia (ESA).

Avaliações para dimensões “Olho do Saara» do intervalo 40 a 50 quilômetros em diâmetro. Este círculo quase perfeito no deserto inicialmente levou os cientistas a acreditar que se tratava de um sistema de impacto de meteoros. No entanto, investigações posteriores revelaram que a cúpula foi formada por elevação tectônica durante o período Cretáceo (145 a 66 milhões de anos atrás) e exposta através da erosão.

O “Olho do Saara» Uma enorme amonite fica no meio de um vasto mar arenoso chamado Erg Oden, que se estende por aprox. 560 quilômetros Leste do Mali. O Erg Oudane é uma área de pelo menos 125 quilómetros quadrados caracterizada por extensas áreas desérticas e areia soprada pelo vento com pouca ou nenhuma vegetação.

Em seu núcleo”Olho do SaaraUm planalto arredondado de calcário e rocha sedimentar unidos por grandes pedaços quebrados, o resto dos olhos descem deste planalto em um padrão circular de cristas e depressões esculpidas pelo vento, de acordo com um estudo de 2021. e água durante séculos.

READ  'Vou deixar o Liverpool no final da temporada'

Para além da sua importância geográfica, “Olho do SaaraA arqueologia é importante como diz Geografia, um jornal publicado pela Royal Geographical Society do Reino Unido. Essas descobertas fornecem um vislumbre da vida de nossos ancestrais e de suas interações com o meio ambiente.

O “Olho do Saara»Continua a intrigar cientistas e exploradores, fornecendo insights sobre a história geológica da Terra e a evolução dos primeiros humanos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *