Rússia: O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky está na lista de “Pessoas Procuradas”

A Rússia adicionou hoje (5/4) o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky à sua lista de procurados, sem explicar os motivos, anunciou o site do Ministério do Interior.

Zelensky é procurado “com base num artigo do código penal”, afirma o lacónico discurso, que não faz qualquer menção às acusações contra o presidente ucraniano.

No dia seguinte à invasão russa da Ucrânia, em fevereiro de 2022, o presidente russo, Vladimir Putin, apelou aos militares ucranianos para expulsarem Zelensky.

A lista dos procurados pelas autoridades russas inclui muitos russos e estrangeiros, principalmente ucranianos. Em Fevereiro, acrescentou os nomes do primeiro-ministro da Estónia, Kaya Kalas, do ministro da Cultura da Lituânia e de antigos deputados letões pela destruição de monumentos da era soviética. Um promotor do Tribunal Penal Internacional emitiu um mandado contra Putin no ano passado, acusando-o de crimes de guerra.

Hoje cedo, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Maria Zakharova, disse que o exercício militar de defesa assertivo da OTAN, de quatro meses, perto da fronteira russa, era uma prova de que a aliança estava se preparando para um possível conflito com a Rússia.

Zakharova rejeitou esta semana as acusações da NATO de que Moscovo estava envolvido em ataques híbridos aos seus Estados-membros, chamando-os de falsa “desinformação” destinada a desviar a atenção das suas próprias operações. Em vez disso, diz ele no seu relatório, a NATO está a travar uma guerra híbrida com a Rússia porque apoia a Ucrânia com armas, inteligência e recursos financeiros.

“O Steadfast Defender, o maior exercício militar da OTAN desde a Guerra Fria, está actualmente a decorrer perto da fronteira da Rússia. De acordo com a sua situação, estão a ser tomadas acções contra a Rússia utilizando todos os meios, incluindo armas híbridas e convencionais. Temos de admitir que a OTAN está activamente preparando-se para um possível conflito conosco”, disse Zakharova. Ele também disse.

READ  Giannakopoulos: "O objetivo do Panathinaikos é arremessar 40 no Olympiakos" - Basquete - Grécia

Após a invasão da Ucrânia pela Rússia em Fevereiro de 2022, as relações da Rússia com o Ocidente estão no seu pior momento em décadas. Cerca de 90 mil soldados participam no exercício da NATO, que começa em Janeiro e termina no final de Maio. Analisa como as forças dos EUA poderiam reforçar os seus aliados europeus nos países que fazem fronteira com a Rússia e no flanco oriental da aliança, caso a guerra eclodisse.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *